Fórum discute desafios de mão de obra na Suinocultura

Criadores de suínos de várias regiões do Brasil discutiram, em Curitiba, a gestão de pessoas e os desafios relacionados à mão de obra do setor.

Com a proposta de auxiliar na produção com eficiência frente aos crescentes desafios relacionados à mão de obra no setor da suinocultura, está sendo realizado em Curitiba, nesta quinta e sexta, dias 18 e 19 de abril, a segunda edição do Fórum Integrall de Suinocultura (FIS). O evento é promovido pela empresa Integrall, que atua na área de soluções em produção animal, através da sua Divisão de Suínos. A edição deste ano teve por tema “Talentos humanos na produção de suínos”, discutindo experiências do Brasil e do Exterior na gestão de pessoas que atuam nos diversos segmentos da área da suinocultura.

O 2º FIS tem apoio da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS) e da Associação Paranaense de Suinocultores (APS), sendo que dentre os presentes estão os presidentes das duas entidades, Marcelo Lopes e Darci José Backes, respectivamente.

Nas últimas décadas o processo acelerado de urbanização brasileira, que segundo o IBGE, em 2010 chegou atingir o índice de 84,4%, tem afastado cada vez mais a população do campo, escasseando a mão de obra no ambiente rural. Paralelo a isso, o crescimento econômico do Brasil tem reduzido as taxas de desemprego e inflacionado os salários em todas as atividades. Na suinocultura, o impacto desse cenário é evidente e tem consequências na produtividade, nos custos de produção e, consequentemente, na competitividade.

Nesse contexto, o Fórum tem como objetivo discutir soluções para este problema, considerando fatores como a qualificação, treinamento, plano de benefícios, bonificações por produtividade, investimentos em instalações e equipamentos, ganhos de escala, dentre outros.

De acordo com Iuri Pinheiro Machado, da equipe da Divisão de Suínos da Integrall, a suinocultura tem se profissionalizado cada vez mais, afastando-se da informalidade e do perfil familiar de criação. Entretanto, a evolução tecnológica nas áreas de genética, nutrição e instalações não tem sido acompanhada, no mesmo ritmo, pela gestão eficaz dos recursos humanos. Em decorrência disso, Pinheiro Machado observa que “o problema da escassez de mão de obra qualificada na suinocultura brasileira exige abordagem ampla e multidisciplinar, que foi a proposta principal do Fórum realizado na capital paranaense, incluindo uma série de palestras e debates para fornecer subsídios aos participantes para elaborarem estratégias visando superar um dos desafios mais prementes desta década, que é a dificuldade crescente na formação e na retenção dos talentos humanos necessários à produção de suínos em níveis máximos de qualidade e competitividade”.

Experiências

Neste primeiro dia de debates, o Dr. José Henrique Piva (PIC-EUA), abordou a experiência e a realidade norte-americana na otimização dos recursos humanos em granjas de suínos. Já a experiência e realidade européia foram abordadas pelo representante da empresa Porcus, da Dinamarca, Dr. Hans Bundgaard.

A programação do Fórum incluiu o debate sobre concepção de projetos e abordagens de manejo e gestão voltadas à otimização da mão de obra. Os casos de sucesso na otimização de mão de obra em granjas suinícolas brasileiras incluíram experiências de granjas do Distrito Federal, Minas Gerais e do Paraná.

Público

O 2º FIS atraiu um público superior a 400 pessoas, que lotaram as dependências do auditório do Four Point by Sheraton Curitiba. Na plateia, produtores, gerentes de granjas, técnicos e profissionais envolvidos diretamente na produção e gestão dos sistemas de produção de todo o Brasil, além dos diversos fornecedores da atividade, acompanharam atentamente os debates.

 

ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DE SUINOCULTORES - APS
Rua Conselheiro Laurindo, 809 - Sala 910 Centro
Curitiba - PR CEP: 80.060-100
Telefone: (41) 3223-1207 Fax: (41) 3223-1535
E-mail: aps@aps.org.br
su aritma su aritma su aritma su aritma su aritma